quarta-feira, 25 de setembro de 2013

O CINTURÃO


Com cruzados de direita,
O pugilista porto-riquenho
Esmaga moscas
Esmigalha bocas
E vê seu sangue latino,
A dólar, cotado.

   

segunda-feira, 23 de setembro de 2013

Soneto Sem Título

Vasculho no bolso centavos pra viagem,
Viagem esta que não vale um centavo
E, ao meu lado, um velho com bagagem
Carrega dores, fobias e o peito entrevado.

Não que eu ainda esteja no páreo,
Que eu seja azarão, garanhão ou pária...
Gastar o pulmão na pista dum jóquei
Não freia a velhice nos seios da tara.

Espantalhos desdentados me pedem moedas.
Fedores e ferimentos... Sóbrios às vezes...
Onde estão os donos dessas fezes?

Há mais doentes e pobres do que poetas.
Mais cardíacos do que cavalos

E mais fezes humanas do que ratos.

quinta-feira, 12 de setembro de 2013

Um Dia Na Semana



Abelhas sobrevoam
a cana moída
Cachorro late e morde
as bolas de sabão
Menino pede pastel de carne
A mãe finge falha na audição
Indiozinhos pegam goiabas
e batem em retirada
Moscas escoltam
a banca fedida.



São Paulo, 11 de setembro de 2013